ROTA 2030: FUNDEP E CONFIES LANÇAM REDE DE COOPERAÇÃO EM PD&I

08/04/2021

A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep) e o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (CONFIES) lançaram a Rede de Cooperação em PD&I.  O Protocolo de Intenções irá potencializar o desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica no âmbito das Linhas IV – Ferramentarias Brasileiras mais Competitivas e V – Biocombustíveis, Segurança Veicular e Propulsão Alternativa à Combustão, do Programa Rota 2030.

As informações foram divulgadas em Live com a participação do presidente da Fundep, professor Jaime Arturo Ramírez; do presidente do Confies, professor Fernando Peregrino; da reitora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), professora Sandra Regina Almeida; da reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), professora Denise Pires de Carvalho; e da coordenadora de programas da Fundep, Ana Eliza Braga.

A ação irá fortalecer a conexão entre Fundações de Apoio, Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) e empresas da cadeia automotiva para o desenvolvimento de projetos de inovação tecnológica. Essa conexão será estimulada a partir do Conecta Rota, uma plataforma para cadastrar desafios e oportunidades para o desenvolvimento de inovações tecnológicas aderentes às Linhas IV e V do programa.

CONFIRA OS PRINCIPAIS DESTAQUES

A Coordenadora de Programas da Fundep, Ana Eliza Braga, destacou os objetivos do Acoordo de Parceria. “A Fudep, que tem a UFMG como universidade credenciadora e sua principal motivadora e referencia, assume o papel de agente ativo na gestão de políticas públicas ao conectar e integrar efetivamente o governo, a academia, a indústria e a sociedade. A Fundação promove a articulação de atores e investe recursos financeiros captados nestas linhas em frentes de formação, capacitação e projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação que melhoram e impactam o setor automotivo e a sua cadeia de produção. O CONFIES vem para fortalecer e atuar de maneira articulada com a Fundep na difusão das regras de acesso às Linhas IV e V do Rota 2030 e para multiplicar as conexões entre a cadeia e a indústria para alavancar o volume de projetos submetidos e aprovados nas chamadas de financiamento da Fundep. Em parceria com o CONFIES promoveremos uma agenda de encontros regionais para divulgar e orientar a participação das Fundações de Apoio nas Chamadas. Até o final de 2021 planejamentos comprometer aproximadamente R$ 100 milhões de reais nas Linha IV e V”, explicou.

O presidente do CONFIES, professor Fernando Peregrino, reforçou a importância do papel desempenhado pelas Fundações de Apoio na conexão entre sociedade, universidades e governo. “Não há possibilidade de inovação sem a presença da indústria. Vejo com bons olhos a aliança entre a indústria e a ciência gerada nas universidades e centros de pesquisa. A Fundep traz neste programa recursos financeiros. Estamos num momento muito complicado de orçamento, e é muito importante o aporte de recursos do setor privado. E o Rota 2030 traz o investimento privado. Somo uma parte da tríplice hélice. Ou seja, ligamos a sociedade às universidades e ao governo por meio das Fundações de Apoio. (As fundações de Apoio) são entidades privadas e com mais facilidade para prover os meios aos pesquisadores desenvolverem os seus projetos. Queria dizer que o CONFIES abraça com muita alegria esta ideia e este programa. Saudamos o Ministério da Ciência e Tecnologia e ao Ministério da Economia, que dão um exemplo de como podemos trazer em forma de parceria um alento e força para mover a nossa economia a partir da ciência e tecnologia”, disse Peregrino.

O presidente da Fundep, professor Jaime Arturo Ramírez, ressaltou que a fundação assume um papel de catalisador e de integração entre diversos atores. “É muito provável que esta década que se inicia neste ano trará alguns novos desenhos do ponto de vista de desenvolvimento das atividades no grande campo da ciência e da tecnologia. E o Rota 2030 é um bom exemplo deste desenho em que a Fundep assume um papel de catalisador e de integração entre o governo, as empresas, as instituições federais e os institutos de pesquisa do país. O programa traz a possibilidade de recurso adicional, do ponto de vista de pesquisa aplicada, em quatro Linhas muito bem definidas. Duas delas das quais tratamos aqui (Linhas IV e V, coordenadas pela Fundep). A Fundep assume este papel de ser a gerenciadora deste grande programa. Por uma questão de segregação de competências, os projetos específicos que serão contemplados ao logo do Rota 2030 terão que ser apoiados e gerenciados pelas Fundações de Apoio do nosso pais. Enxergamos a parceria com muito bons olhos, no sentido de uma cooperação para que todos possam atuar para um desenho capaz de oferecer soluções aos problemas colocados pela indústria”, destacou.

A reitora da UFRJ, professora Denise Pires de Carvalho, disse que ciência interage com a tecnologia e com a inovação num círculo que é virtuoso. “Nós sabemos que a geração de conhecimento, associada as atividades cientificas e a geração de conhecimento, que chamamos de maneira geral como ciência, está ligada ao desenvolvimento tecnológico. A produção, proveniente das atividades cientificas estava associada em um modelo que antigamente era considerado linear. Para alguns autores, de mão dupla, havia geração de conhecimento levando desenvolvimento tecnológico e vice-versa. Neste século 21 houve um avanço na maneira de pensar neste modelo linear entre ciência e tecnologia e passamos a pensar e num modelo circular. A ciência interage com a tecnologia, com a inovação, num círculo que é virtuoso. As atividades de ciência e tecnologia que acontecem em nossas universidades precisam do chamado ambiente produtivo, aquele local onde o conhecimento gerado e os novos produtos descobertos, precisam ser transformados em algo para transformar a sociedade. E a gente espera que seja sempre que seja para melhor a sociedade. O local da inovação é a indústria. O desenvolvimento industrial do país por tanto é fundamental para que as nossas universidades e os nossos institutos de pesquisa, que são este rico ambiente de geração de conhecimento, possam se transformar no ambiente industrial e nestes produtos tão importantes”, ressaltou.

A reitora da UFMG, professora Sandra Regina Almeida, afirmou que o acordo de cooperação irá beneficiar todos os envolvidos. “Esta rede de cooperação em pesquisa, desenvolvimento e inovação, firmada entre a Fundep e o CONFIES, é muito importante no contexto atual. A Fundep é a coordenadoras de duas Linhas do Rota, programa do Governo Federal que propõe apoiar as iniciativas de mobilidade e logística. A Fundep coordena este programa, porém precisamos de outras parcerias. Esta rede de parceria vem para justamente somar os esforços das nossas instituições no sentido de dá mais visibilidade e fortalecer este programa que é muito importante, tanto para aa nossas instituições quanto para o setor automotivo nacional. O objetivo de fazer com que todos nós possamos ganhar na atual situação. Ganha a Fundep, coordenadoras das Linhas, ganha as fundações de apoio que irão ajudar dando visibilidade as ações e também ao fazer a gestão dos projetos, e ganham as instituições de pesquisa que estão à frente destes projetos. É importante destacar que aprendemos durante esta pandemia, mais do que nunca, que não conseguiremos enfrentar momentos difíceis se não fizemos redes de colaboração e cooperação entre pessoas, intuições, países e setores da nossa sociedade”,  disse a reitora.

PROTOCOLO DE INTENÇÕES

Um Protocolo de Intenções envolvendo a Fundep, CONFIES, UFMG e UFRJ foi assinado para oficializar a Rede de Cooperação em PD&I.

Fonte: FUNDEP

    Newsletter